• Entre em contato conosco: +55 (11) 4111-1353
Acompanhe-nos!

Anatel abre disputa para pesquisar o grau de satisfação dos consumidores

A Anatel pretende realizar neste ano a maior pesquisa de percepção do usuário já feita no setor de telecomunicações. Mais de 200 mil entrevistas serão feitas pela consultoria que será contratada pela agência reguladora, mapeando o nível de satisfação dos consumidores nos mais diversos serviços de telecomunicações em funcionamento no Brasil. A proposta da Anatel inclui até mesmo entrevistas com brasileiros sem acesso aos serviços de telefonia, na intenção de averiguar as barreiras que ainda afastam os cidadãos do acesso pleno a telecomunicações. A jornada de escolha da empresa que será responsável pela realização da pesquisa começou nesta sexta-feira, 25, com uma sessão pública para a abertura das propostas das consultorias interessadas no projeto. Sete empresas participaram do certame, mas a disputa não foi livre: todas elas foram escolhidas e convidadas pela própria Anatel, dentro do método de "consulta". Nenhum outro órgão da administração pública federal usa es

Para Anatel, ainda não é possível discutir redução da assinatura básica

O novo plano de acesso aos serviços de telefonia fixa com caráter social, o Aice, anunciado nesta quinta, 24, pela Anatel, tem um custo bastante reduzido em relação à assinatura básica cobrada da maioria dos clientes, pode abrir caminho para uma discussão sobre o custo do próprio plano básico. Afinal, se o custo de atendimento dos assinantes é de R$ 9,50 (segundo as contas da Anatel para definir o novo Aice), porque os clientes pagam hoje uma assinatura média de R$ 40 no plano convencional? Haveria espaço para reduzir o preço da assinatura para todos? Segundo a Anatel, ainda não. O conselheiro Jarbas Valente explicou que o custo de R$ 9,50 é válido apenas para o universo de 13 milhões de assinantes potenciais do Aice. Segundo o conselheiro, o custo padrão de conexão de um assinante na rede fixa seria de R$ 13 aproximadamente. Mas o grande obstáculo para uma revisão do valor da assinatura básica seria a falta de um modelo de custos, que esclareça plenamente os cust

Móveis podem ter que desembolsar R$ 300 milhões para continuar em funcionamento

O Conselho Diretor da Anatel irá retomar nesta semana um dos debates que mais perturba o setor de telefonia móvel atualmente. Está na pauta dessa quinta-feira, 24, um pedido de reconsideração apresentado pela Vivo contra a cobrança da Taxa de Fiscalização de Instalação (TFI) para a renovação dos direitos de exploração de radiofrequência. A disputa se arrasta na Anatel desde 2006, quando a tal renovação foi promovida. Entretanto, a agência ainda não conseguiu fazer valer sua interpretação de que as empresas de telefonia móvel devem pagar novamente a taxa de instalação das estações do serviço celular. A conta estimada do problema não é nada módica: juntando todas as operadoras móveis, as empresas deveriam aproximadamente R$ 300 milhões em TFI por conta da prorrogação. O assunto, inclusive, já está judicializado por meio de uma ação movida também pela Vivo, hoje a maior operadora móvel do Brasil e, portanto, responsável pela maior fatia da dívida caso a Anatel saia v

"Para nós o celular é um terminal bancário", diz gerente do Banco do Brasil

O Banco do Brasil analisa o modelo de MVNO, mas o gerente executivo de TI, Angelino Caputo, é cuidadoso ao comentar o interesse do banco e garante que não há nada fechado. "No momento estamos só olhando, mas ao que parece faz sentido", disse nesta terça-feira, 22, em seminário organizado pela Network Eventos. O interesse do banco é disponibilizar mais um canal de comunicação onde os clientes possam realizar transações bancárias. "Prestar serviço de telefonia em um modelo baseado em custo não faz sentido para nós", diz ele. Por este motivo, a MVNO do Banco do Brasil deveria ser fortemente baseada em dados. "Para nós o celular é um terminal bancário. Para o banco (a MVNO) só faz sentido se for com conectividade", afirma ele. Hoje 92% das transações bancárias do BB são feitas pelos próprios clientes em diversos canais, inclusive o celular. Para explorar melhor a fidelização dos clientes, Caputo não descarta o fechamento de parcerias com outras empresas, como super

Lucro da TIM cresce 176% em 2010

A TIM fechou o ano de 2010 com lucro líquido de R$ 2,21 bilhões, o que representa um crescimento de 176% frente ao ano anterior, quando a empresa obteve resultado positivo de R$ 801 milhões. Cabe ressaltar que os números de 2010 foram impactados por créditos fiscais de R$ 1,435 bilhão. Em 2009, o balanço da operadora também foi beneficiado por créditos fiscais e por um ganho com a variação cambial da dívida não protegida da Intelig, que somaram R$ 672 milhões. Considerando-se apenas o resultado obtido organicamente pelo crescimento da operação da empresa, o lucro da TIM aumentou cerca de cinco vezes de 2009 a 2010, passando de R$ 129 milhões para R$ 777 milhões. A receita líquida aumentou 5,2% na comparação entre os dois anos, atingindo R$ 14,5 bilhões. No mesmo período, a receita de serviços cresceu 6,1%, alcançando R$ 13,6 bilhões. Merece destaque a melhora no Ebitda da companhia, que subiu 18%, passando de R$ 3,5 bilhões para R$ 4,2 bilhões. A margem Ebitda foi

Prioridade da TIM em 2011 será internet móvel

O desafio da TIM a médio prazo é transformar a maioria dos seus assinantes em usuários de internet móvel, afirmou o presidente da operadora, Luca Luciani. Em dezembro passado, 18% da base acessou a rede mundial de computadores através de celulares. O objetivo da empresa é ampliar a penetração do serviço para 75% dentro de três anos, disse o executivo. O balanço de 2010 da companhia divulgado nesta terça-feira, 22, demonstra a evolução nesse aspecto. A receita bruta com tráfego de dados móveis cresceu 18% em 2010 e 31% no quarto trimestre, quando comparado com o mesmo período de 2009. Apenas quatro meses após o lançamento do "Infinity Web", serviço que dá acesso ilimitado à internet móvel por R$ 0,50 por dia, a quantidade de usuários pré-pagos que usam o celular para navegar na web quadriplicou, alcançando 1 milhão de clientes. A melhora está ligada não apenas à oferta comercial do plano "Infinity Web", mas ao crescimento da venda de smartphones e webphones (ter

Patrus Transportes - novo cliente do Telecom Web Manager

As telefonias fixa e móvel da Patrus Transportes serão geridas pelo software Telecom Web Manager da Guiando Telecom, que tem como características controlar faturas, gerar relatórios estratégicos aos gestores, enviar e-mails aos colaboradores com os custos de seu ramal e/ou celular. A Patrus, eleita a Melhor Transportadora do Ano de 2010 pela 3M, tem como seu negócio soluções em transporte, armazenagem e distribuição, com informação, disponibilidade, segurança e regularidade. Sua sede fica em Contagem/MG. A Guiando tem certeza que com o TWM o controle de telefonia do cliente estará mais confiável e organizado.