• Entre em contato conosco: +55 (11) 4111-1353
Acompanhe-nos!

RIM passa a fabricar no Brasil e vai vender aparelho desbloqueado no varejo

imagesA RIM anunciou nesta quinta-feira, 11, em São Paulo a fabricação do modelo Blackberry Curve 8520 no Brasil, com produção terceirizada para a Flextronics. Em dezembro do ano passado TELETIME News revelou que a companhia estudava a fabricação do produto no Brasil ou na Argentina. O Blackberry Curve 8520 é o aparelho mais barato no portfólio da RIM e primeiro Blackberry voltado para o público não corporativo. É um quadri-band com teclas exclusivas para recursos multimídia. O Curve 8520 – conhecido como Gemini no exterior – há dois trimestres consecutivos é o campeão de vendas da RIM no Brasil. Em evento que reuniu diversas autoridades e parceiros, o co-CEO da RIM, Jim Balsilie, disse que o Brasil é um líder reconhecido na América Latina e que o mercado de smartphones no País deve dobrar de tamanho em 2010. A fábrica da Flextronics dedicará duas linhas de produção ao Blackberry, somando ao todo 300 funcionários. A companhia não revela o volume esperado de produção. Adriano Lino, gerente de inteligência de mercado para a América Latina, explica que o principal fator que fez a RIM fabricar no Brasil é de ordem logística e não tributária. Segundo ele, muitas vezes, as encomendas para as operadoras brasileiras poderiam demorar cerca de 3 meses, devido à capacidade de produção já ocupada por outras operadoras. A produção local vai atender o mercado interno e será um pólo de exportação para a América do Sul. Sobre redução de preço, Lino foi cauteloso. Ele disse a produção local diminui o custo para a RIM, mas o preço para o consumidor final é decisão da operadora. Venda direta Adriano Lino revelou que em breve a RIM vai iniciar a venda direta. Ele não soube dizer quais seriam os varejistas parceiros, mas disse que a RIM está negociando com todos os grandes, citando Casas Bahia, Ponto Frio e Fnac. "Estamos desenvolvendo a estrutura de canal direto para começar as vendas no curto prazo. Por incrível que pareça existe um público relevante que quer aparelho desbloqueado mesmo sem subsídio", afirma. Fonte: Teletime

TWM - Telecom Web Manager

Comentários

Comente você também